sexta-feira, novembro 28, 2014

Pra você que ainda vai chegar

Todos os dias saio de casa com a impressão de que você ainda vai chegar. E, pra isso, abro sorrisos para todos na rua porque ainda não sei quem é você. Não quero que quando nos encontrarmos nessa vida, você pense que acordo de mau humor até nos dias em que o sol brilha no outono.

Como não te encontro no caminho do trabalho, me permito a conhecer novos lugares onde eu possa conhecer novas pessoas. Tem sido uma experiência antropológica. Tentei outras cidades e países também, mas não sei, alguma coisa me diz que você está bem perto e estamos apenas nos desencontrando.

Ontem, estava no supermercado e pensei que era você. Me olhou e sorriu como se já nos conhecêssemos. Mas o mundo conspirou e você desistiu do sorriso quando viu eu pegando um pacote de fraldas na gôndola de cima. Eu estava indo para um chá de bebê, eu juro! Mas tudo bem. Se fosse você, saberia disso e daria risada de mim, junto comigo.

Outro dia, na linha amarela do metrô, você sentou na minha frente e, entre uma página e outra, levantava seus olhos para ver se eu ainda estava olhando para você. Na verdade, estava tentando te reconhecer. E nessas de admirar o que ainda não se conhece, você desceu em uma estação que eu nunca iria.

Talvez você seja aquele tipo de coisa que aparece apenas quando não estamos procurando. Mas vou te confessar: essa falta de sincronia do mundo me enloquece. Esses desencontros já não estão cabendo mais, você não acha?

Não vejo a hora em que a gente vai fugir pra praia num final de semana pra conversar tudo aquilo que ainda não aconteceu. Será que vai rir das minhas histórias? Vai dizer que tudo bem eu estar descabelado? De todas as coisas que eu queria que você já soubesse, a principal é que tô aqui.

E uma hora a gente se reconhece por aí.

Sou aquele que anda com uma mão no bolso e um sorriso no rosto. =)

Nenhum comentário: