segunda-feira, dezembro 16, 2013

Abracadabra!

A vida apertou demais o meu coração e, em vez de pedra, virou pó. Teve gente que cheirou e ficou muito louca. Outros, ainda, assopraram como em vela de aniversário que não apaga nunca mais. E aí me peguei dando uma de terapeuta com quem enlouqueceu, enquanto limpava a sujeira dos outros. Vida triste. A dos outros, não a minha.
Aprendi que uma hora a vida desafrouxa, desabrocha, o nó vira laço e o pó vira magia.
Abracadabra!

Fila do pão

Acredito que um dia a gente ainda vá se reencontrar. Não por aí, na fila do pão. Mas ali, naquele lugar, onde eu perdi vc.

O pão está caro, né?

domingo, dezembro 15, 2013

Acabou de começar

15 dias pro ano acabar. Quanta coisa começou e não terminou e quanta acabou sem começar. O ano foi de um verão cheio de nuvens e um inverno quente. No outono, as lágrimas caíram junto com as folhas e, na minha primavera, nunca tantas margaridas apareceram no meu jardim. A expectativa pelas coisas inesperadas, a procura por coisas que não foram perdidas e a saciedade de vontades desnecessárias continuam. E os meses levam embora aquilo que já não cabe dentro de mim.
2013 foi um ano que muita coisa começou e terminou.
E aí eu me dou conta que a vida acabou de começar. Tudo de novo!