segunda-feira, setembro 16, 2013

Gente Mala

Sempre fui um pouco mal humorado. Um pouco não, bastante. E sofro com isso porque muitas vezes acabo tomando umas atitudes meio “o que eu acabei de fazer agora?” com as pessoas. E me arrependo. Aí vem toda a função/drama de explicar os motivos e pedir desculpas. Preguiça. Foi então que eu resolvi que não adianta eu apenas ter conhecimento de um defeito meu sem tentar mudá-lo.

Conversando outro dia com uma amiga, que me faz muito refletir sobre a vida, cheguei à conclusão que eu deveria fazer alguma coisa de bom pra alguém todos os dias.

Pensei em ligar pra geral perguntando se estavam precisando de alguma coisa, mas quem usa telefone pra falar hoje em dia? Pensei em sair abraçando as pessoas pela rua (às vezes é tudo o que elas precisam), mas acredito que eu daria certeza às pessoas quanto a minha loucura. Pensei em fazer um trabalho social com crianças carentes/velhinhos abandonados, mas isso iria contra o meu momento praticando o desapego que preferi quebrar a cabeça mais um pouquinho. E, enquanto pensava nisso, saindo do metrô, me deparei com uma mulher carregando uma mala/bigorna nas escadas. Perguntei se ela queria ajuda e ela agradeceu e suspirou aliviada. A mala nem estava tão pesada, pelo menos pra mim. A mulher me agradeceu com um sorriso e fui embora.

Ok, não fiz diferença na vida de ninguém. Grande coisa carregar uma mala num mundo de gente que não tem nem o que colocar numa mala para carregar. Porém, sendo bem egoísta e pensando na história de que preciso acabar com o meu mau humor pra aí sim acabar com a fome do mundo, a energia daquele sorriso de agradecimento me fez um bem que finalmente decidi: vou sorrir mais paras as pessoas. E pra vida também.


E viva o clareamento dental. =)