terça-feira, março 19, 2013

Para as mulheres mais lindas do mundo

Apesar de morar exatamente na frente da minha escola, minha mãe sempre fazia questão de me buscar na saída. Dizia ela que tinha medo de eu e meu irmão atravessando a rua sozinhos, mas, no fundo, acredito que ela queria mesmo era fofocar com as outras mães.
Era 1991 e eu estava na 3a série D, com a Tia Ana Laura. O sinal tocou e saí correndo à procura da minha mãe para mostrar o meu 10 na prova de matemática. E, ao longe, avistei uma mulher de jaqueta de couro e metade do cabelo pintado de vermelho. Ousado e radical para uma mãe de um estudante de um colégio alemão. De vergonha, fingi que eu não a conhecia e atravessei sozinho até chegar no meu prédio.
Quando cheguei em casa, a minha mãe me sentou no sofá e disse que precisava me contar uma história:
"Havia um menino pobre de 8 anos que o que ele mais gostava no mundo era andar de mãos dadas com a mãe por aí. Um dia, distraído com a vitrine de brinquedos do shopping, ele acabou soltando da mão da mãe e se perdeu. Chorando, pediu aos policiais que o ajudassem a encontrar a sua mãe desaparecida. Foi então que os policiais perguntaram ao menino: 
- Mas como é a sua mãe?
- A minha mãe é uma mulher muito bonita!
Foi então que anunciaram no shopping para que as mulherem mais bonitas comparecessem à sala de segurança. 
- Não! Minha mãe é muito mais bonita do que elas!!!!
E chamaram as mulheres mais bonitas do bairro.
- MINHA MÃE É MAIS BONITA DO QUE TODAS JUNTAS!
E vieram as mais bonitas da cidade.
- MINHA MÃE É MUITO MAIS BONITA!
E trouxeram as Misses de cada estado do Brasil.
- MAIS BONITAAAAAAAAA!
E convocaram as mulheres mais bonitas do planeta. No meio daquele vuco-vuco, apareceu uma velhinha - toda suja, de bobes e lenço no cabelo, com um saco de supermercado na mão como bolsa - gritando como louca.
- Senhora, se afaste, estamos tentando resolver um desaparecimento - disseram os policiais.
E foi então que o menino saiu correndo em direção à velhinha com os braços abertos e o sorriso no rosto. Abraçou bem forte, olhou para os policiais e disse:
- Obrigado por encontrarem a minha mãe!!! Ela não é a mulher mais linda do mundo?"
Fiquei um pouco chocado com a história. Me lembro bem. 
No dia seguinte, saí da escola ao encontro da minha mãe, vulgo Radical Chic, na esquina. Ela estava com uma faixa na cabeça cobrindo o cabelo vermelho bombeiro. Não falei nada. Apenas dei a mão e atravessamos a rua, juntos.
No elevador, pedi pra que ela me levantasse pra que eu pudesse apertar o 12. E foi aí que perguntei: 
- Mãe, de onde vc tirou a história da mulher mais linda do mundo?
- A sua vó me contou uma vez! Ela não é a mulher mais linda do mundo?

É mãe, ela é a mais linda!

Um comentário:

Jamil Neto disse...

essa marejou meus olhos!! <3