segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Boa viagem

Andar de avião, pra mim, é sempre um desespero. Já na fila do check in eu começo a analisar os esteriótipos das pessoas dignas de estamparem os noticiários dos programas vespertinos que adoram tragédia. Se no voo eu encontro o combo freira + casal gay + artista em decadência, é batata! acidente na certa! Meu avô, sistemático e um super apaixonado por voar, me lembra a toda vez escolher a última poltrona. Segundo ele, se um avião cair, ele cairá de bico. Sendo assim, a probabilidade de haver sobreviventes está nos fundos do avião. Meus amigos não entendem algumas das minhas manias, discutem, e acabam sentando longe de mim - preferem as cadeiras que reclinam. Aí, no meio da viagem vão até a minha poltrona saber se ainda esto vivo, onde durante as 12 horas de viagem eu não pisquei tentando fingir naturalidade.
Dia desses abri uma nova pasta no meu computador nomeada "EM NOME DE JESUS", para que, no caso de um desastre aéreo em que eu esteja envolvido, a minha mãe saiba exatamente quais fotos eu gostaria que fossem divulgadas juntamente, claro, com um releasezinho que eu mesmo escrevi para evitar exaltações de qualidades e defeitos que pra mim não são muito importantes.
Sabe o que acho estranho? Quando criança eu adorava andar de avião, roubava as escovas de dentes que distribuíam nos vôos da Pan Am e pedia sempre pra aeromoça me levar na cabine do piloto pra eu ver os botões todos piscando.
Fiquei aqui pensando: talvez o meu problema não esteja com altura ou longas distâncias. O meu problema está em não estar no controle.
Boa viagem!

Um comentário:

Mara Ribeiro disse...

Bruno
Adoro passar por aqui! Já me interessei, chorei e agora ri com sua postagem.
São deliciosas suas palavras, sempre faço um filme na minha cabeça com elas.
Bjo no coração