terça-feira, maio 17, 2011

A minha vontade era quebrar tudo. Era sair por aí com um taco de beisebol destruindo todos os vidros que visse pela frente. A minha vontade era cuspir na cara de um monte de gente. Arrancar o cabelo de meia dúzia. Quem sabe tacar fogo em tudo que queimasse.

A minha vontade era destruir tudo. Era deixar as coisas em pedacinhos bem pequenos. Era chutar todas as latas de lixo por aí. Era enfiar a cabeça de algumas pessoas na privada e dar descargas, muitas. E fechar tampa na cabeça delas. A minha vontade era moder os meus próprios dentes até que eles se quebrem uns nos outros.

Essas vontades escorrem no meu rosto, todas as noites quando eu vou dormir. E aí percebo que as minhas vontades não eram só essas, eram muitas mais.

Estou fritando meu cérebro enquanto espero ansiosamente essa vontade passar.

Vai um omelete aí?