domingo, novembro 07, 2010

Depois de trabalhar a manhã inteira num sono e sábado sem fim, fui até a casa da Lucia para me trocar e ir pro UMF (www.umfbrasil.com). Chegando lá, percebi que estava um calor insuportável e, num dos meus momentos de compras compulsivas, fui numa loja na rua da Lucia pra comprar uma bermuda e saí de lá com um boné novo.

A festa foi demais. Encontrei muitos amigos queridos. Tocaram muitas das músicas que eu adoro. Na verdade, contei tudo isso somente para falar do final da festa.

A Marione, amiga minha há mais de 20 longos anos, estava toda chic no festival. Chapeuzinho, um monte de pulseiras e um casaco cheio todo descolado. No ápice do show ela deixou o casaco cair no chão e só foi perceber quando já tinha pisado no casaco inteiro. O chão estava uma lama só, logo, seu casaco bege ficou totalmente tie dye, todo sujo de marrom. Enfim, a vida continua.

Na hora de ir embora, já estava frio, e a Marione resolveu colocar o casaco. Estava parecendo uma mendiga, com cachecol rosa, a jaqueta toda suja e o chapeuzinho. O taxi nos deixou no saguão do Hotel Hilton onde tínhamos estacionado o carro. O problema é que estava rolano no Hilton uma daquelas festas exclusivas da high society paulistana. As mulheres cheias de plumas, os caras de black tie (todo mundo de preto) e a Marione ali no meio toda suja de barro, achando graça da situação. No detalhe que ela é daquelas que só consegue dar risadas desesperadas em altos decibéis.

Entramos no elevador que é todo transparente. Quando o elevador foi descer, eu, a Lucia, meu irmão e a mendiga Marione colocamos as mãos para o alto e, virados para o vidro do elevador, gritamos como se o elevador fosse cair. Nisso tinha um cara parado numa bicicleta encostado bem no vidro vendo a gente descer. Ele não entendeu nada.

Chegamos numa lanchonete e todo mundo ficou olhando pra nossa cara. A Marione estava insuportável dizendo que tava desmaiando de fome. Tanto foi que, ela olhou pra mesa do lado, viu um garçon atendendo umas 3 meninas, interrompeu os pedidos delas e disse: Oi garçon, já posso pedir o meu?

COMO ASSIM? JÁ POSSO PEDIR O MEU? Ela simplesmente interrompeu o pedido das meninas, como se estivesse furando uma fila.

E aí, o garçon mediu a Marione e respondeu:
- Não, não pode pedir o seu ainda.
- É QUE EU TO MORRENDO DE FOME!
E o garçon olhando ela toda suja, parecendo uma menina de rua, respondeu:
- Dá pra imaginar o quanto!

Depois de uns 40 minutos e após a Marione ir lá no caixa tentar fazer o pedido antes que o garçon voltasse, os lanches chegaram. Comemos e tudo mais. Pronto a Marione já estava saciada.

Pagamos a conta. Quando estávamos indo embora, entrou um grupo de pessoas, que provavelmente estavam na mesma festa que a gente pois estavam TODAS sujas de lama, tipo se sujar faz bem. A galera olhou pra cara da Marione e falou:
- E AI PARCEIRA!!!!!!!

A Marione deu aquela gargalhada gostosa e fomos embora.

Conclusão do dia: por mais sujo que vc seja, sempre tem alguém que consegue ser ainda pior que você!