domingo, novembro 01, 2009

É como se a força de toda a felicidade que um dia eu senti me empurrasse pra um penhasco sem fim. E eu percebesse que, por mais que às vezes eu pense que sei tudo, eu descubra que, definitivamente, não sei voar.

Ainda que eu consiga esconder meus medos, a minha cara de decepção é algo que eu nunca sei onde guardar. E ela vai ficar assim, exposta, até um dia eu ter certeza que realmente sofrer é uma questão de escolha.

A partir de hoje, só olho pra trás se estiver com torcicolo.

Nenhum comentário: