quinta-feira, janeiro 24, 2008

Indo para o aniversário da Lúcia, me deparei com o Oceano Atlântico caindo em forma de chuva pelas ruas de São Paulo. Os paulistanos não podem ver uma chuvinha que já colocam em prática a má educação no trânsito.

Abaixei o som para prestar mais atenção no volante e passei pelo túnel Ayrton Senna em direção ao Itaim Bibi. Em seguida, existe uma junção de pistas para um outro túnel que eu não sei o nome. Nisso, um imbecil num corsa filmado preto começou a querer passar praticamente pelo canteiro pra entrar na minha frente - odeio gente que não sabe respeitar filas - e foi jogando o carro pra cima do meu para poder passar.

Um dos meus maiores motivos de brigas contra a "sociedade" é a falta de respeito nas filas. NUNCA eu deixo alguém entrar na minha frente. NUNCA!

A chuva continuava caindo. E o cara foi jogando o carro. Eu ia pra frente. O cara jogava o carro mais ainda.

Pensei comigo mesmo: o meu carro já tá batido mesmo, foda-se. E joguei meu carro com tudo que o cara teve que ficar pra trás.

Já dentro do túnel, e aí sem a chuva, o corsa parou ao meu lado e abriu o vidro com insulfilm:
- AÊ MANO, QUALÉ QUE É? - um cara tipo o João Gordo só que com a barba o Inri Cristo, medo!

Desesperado e, num momento iluminado, percebi a minha frente um carro de uma funerária. Pensei rápido, abri meu vidro e respondi:
- QUALÉ QUE É SEU OTÁRIO? QUALÉ QUE É? VC NUM TÁ VENDO ESSA PORRA DESSE CARRO DA FUNERÁRIA AÍ NA FRENTE SEU CABAÇO? ENTÃO, É MINHA MÃE QUE TÁ ALI DENTRO. VC NÃO TEM RESPEITO PELAS MORTOS?

-PÔ MANO, DESCULPA AÊ! FOI MAL - juntando as palmas da mão como se rezasse.

- NÃO FOI MAL NÃO COLEGA, FOI PÉSSIMO!

Fechei o meu vidro, peguei um chiclete e aumentei o som do Jamiroquai.

15 minutos depois estava no aniversário da Lúcia.

2 comentários:

Anônimo disse...

Isso que é pensar rápido....hauahaua

Anônimo disse...

Cara, vc tem sangue de barata. No teu lugar puxava o ferro do mult-lock e quebrava o carro do gordo.