sexta-feira, março 02, 2007

As grandes chuvas que rodeiam São Paulo no verão detonaram os meus sapatos que comprei na Renner por R$30,00. Eles não eram "OS MELHORES SAPATOS", mas eram os únicos que eu podia comprar na minha atual situação financeira de classe média falida.

Os sapatos estavam tão podres, mas TÃO PODRES, que quando eu pisava numa poça de água era como se eu estivesse descalço, pois havia um furo em cada sola. Era um ar condicionado desnecessário que me causava vergonha toda vez que precisava levantar os meus pés, como quando cruzava as pernas. Em função disso, não havia terremoto que me fizesse tirar os pés do chão.

Movido pela tristeza e desapego material, peguei um dos meus dias de férias (no caso hoje) para comprar sapatos novos.

Eu juro que tentei andar pelas lojas mais baratas do centro de Santana, mas foi impossível comprar algo do meu gosto requintado. Foi aí que, antes de chegar na faculdade, decidi passar no Shopping Higienópolis pra gastar todo o dinheiro que eu pensei que ganharia nesse mês. Adoro aquele shopping, gosto das poses que as pessoas fazem ao olhar as vitrines e da falsidade/interpretação dos vendedores que, para poder sobreviver, fazem cara de normalidade ao informar o valor de uma meia de R$200,00.

Andando a tarde toda por lá, é óbvio que eu achei os meus sapatos ideais. É óbvio que eles eram caros demais. É obvio que eu comprei. Paguei caro mesmo e quero que se foda. Se meu sapato descosturar um pouquinho que for eu volto na loja e mando eles trocarem. Se ele sujar um pouquinho, eu volto lá e mando eles lavarem. Quero garantia eterna. Odeio gastar dinheiro com coisas que eu não gosto e eu não gosto de usar sapatos.

Sapatos são uma forma de formalizar os pés, essas coisas tão informais. Imagine se todos nós andássemos descalços? Adoraria trabalhar de chinelos. Camisa, calça social e chinelos. Acho pés feios, os de todo mundo, inclusive o meu. Não entendo como as pessoas conseguem ter taras por pés. Os pés são as partes mais sujas do nosso corpo, depois do cú, claro!

Se eu fosse escolher uma parte do corpo, eu escolheria os olhos. Eu prefiro mesmo os olhos, mesmo os castanhos. Os olhos têm sentimento e têm profundidade. É possível conversar apenas por olhares.

Acho que é por isso que prefiro comprar óculos de sol.

5 comentários:

Léo disse...

Eu tenho um sapato da Renner que já está comigo há mais de 1 ano e meio e já pegou chuva, lama, já pisei na merda com ele e até em pedaço de pombo no asfalto, mas ele está inteiro, meio sem cor, mas sem furos, acho que vc deve reparar na marca, o meu é da Preston Field, tb naum foi caro, mas está resistindo... eu comprei ele para bater mesmo, coisa de trabalho.
Apesar de que as chuvas em SP são fodas...

Abs... Léo.

lutchi disse...

eu tbm odeio pés!! uma parte mto sem graça do corpo.. tem tantas partes melhores eehhehe...

entao domingo c vai neh??? me liga pra eu te dar as infos...

e passa no meu blog q ja to escrevendo...

bjooo!

Anônimo disse...

Vc escreve incrivelmente bem.
Muito bem. Uma pena ser tao arrogante e desinteressado a conhecer pessoas novas.

Carioca disse...

Bruno, seu texto eh otimo, mas permita que eu duvide de seu odio pelos pes. Alguns pes femininos ( ta certo que sao poucos, mas existem) são lindos. São quase desprovidos de veias e sao muito harmoniosos, e numa sandalia de salto bonita, rivaliza com muitos outros atributos femininos. Repare melhor nesta parte feminina que vc ainda vai encontrar um pé pra se apaixonar. Abs

Os Pampas disse...

Apesar de ser um egocêntrico do kct, vc escreve bem. Também concordo que os sapatos da renner são muito ruins, o sapato é um ítem que compõe a personalidade (de quem aprecia, é claro)de quem o calça.
Acho que criar um blog pessoal é um tanto quanto gay, mas até que está divertido.
Sucesso.